Dicas Gostosuras

Feijoada | Casa Madre

10 de setembro de 2018

O prato é ideal para uma reunião informal e alegre. Feijoada é coisa séria. Prepará-la é quase um ritual. Na Casa Madre, no dia 15 de setembro – sábado, é dia desse prato tradicionalíssimo da cozinha brasileira. Um dia antes começam os trabalhos de elaboração, quando o feijão é ­colocado de molho para, na manhã seguinte, serem acrescidos os temperos e condimentos, e levado para cozinhar no fogão “borralho” o que envolve toda a equipe e, é orquestrado sob o comando da Geize  Michelle Felipetto, proprietária do local e apaixonada pela cozinha.

O cardápio é especial para a ocasião: Feijão Orgânico (cozido no borralho), Farofa de Banana da Terra, Farofa de Cebola Caramelizada, Saladas, Couve, Arroz, Salada de Piçacam com Peperoni, Laranja, Chopp e música agradável para embalar o almoço de maneira deliciosa. Ressaltando o objetivo da Casa Madre, que é de ofertar comida de verdade, que alimenta o corpo, nutre a alma e nos traz felicidade.

O preço por pessoa, R$ 38,00 e a partir das 11h00 o local estará nos acolhendo com um delicioso “Caldinho de Feijão” bem temperado, como tudo que é servido por lá.

Sobre a Feijoada | O prato, acredita-se, nasceu durante a Idade Média, no Norte de Portugal, e foi adaptado aos ingredientes brasileiros, na vinda dos colonizadores. Assim como a cultura de nossa pátria, a Feijoada é uma mistura de folclores e técnicas de várias partes do mundo.

Outros acreditam que a mistura de feijão com carne foi uma invenção dos escravos, que recebiam as partes menos nobres dos porcos e misturavam ao grão – uma explicação, porém, errônea.

Existe na Europa desde a antiguidade, um prato que varia de região em região, mas têm sempre como base a mistura de tipos diferentes de carne, com legumes e verduras, como por exemplo, o “Cassoulet” na França, o tradicional cozido em Portugal, o “Casoeula” na Itália, e o “Puchero” na Espanha. São os portugueses os responsáveis por trazer ao Brasil, a técnica e a combinação do cozido com carnes, que com o passar do tempo, e evolução dos costumes, foi acrescentado o feijão preto, criando assim a Feijoada.

O Feijão preto é de origem sul-americana, e era parte da dieta dos índios nativos. Antes da chegada dos portugueses ao Brasil, já se conhecia na Europa diversas variedades de feijão, e era comum usar no preparo desses pratos, como o uso do feijão branco no “Cassoulet”. Portanto, a feijoada não é originalmente brasileira, e sim uma adaptação e evolução de uma cultura de berço europeu. Os acompanhamentos como: arroz, farofa, couve, laranja, torresmo e etc., foram acrescentados ao prato bem mais tarde.

No Brasil, o modo de fazer a feijoada varia entre os estados. Alguns usam o feijão mulatinho ao invés do feijão preto, outros preferem o uso da carne fresca ao invés das carnes maturadas (carne seca, carne de sol e etc.) Criou-se no país uma cultura de se comer feijoada, e hoje é quase uma unanimidade entre as pessoas.

Fato é que, independente da origem, de lá pra cá o prato ganhou status, tornando-se um símbolo da culinária brasileira e que ganha novos “toques” para se tornar mais saudável, exemplo do prato que será servido na Casa Madre.Na Casa Madre tudo é feito com muita dedicação e carinho, além da feijoada, o atendimento também é outro atrativo. A Geize e sua equipe estarão lá para orientar e fazer com que os frequentadores e amigos se sintam em casa, superando as nossas expectativas, que vão além da preparação e apresentação dos pratos. É uma relação de memórias, onde compartilham os momentos de amizade e acolhimento.

Casa Madre |Rua Curitiba, 1414, Centro (enfrente Data Formaturas) | Francisco Beltrão/Pr | 46 9 9908 0819.

Fonte Pesquisa  | Livro: Formação da culinária brasileira, de Carlos Alberto Dória. 

Comentar via facebook

Comentário(s)

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM