Palavresca

23 de Abril | Dia Mundial do Livro

23 de abril de 2021

Nesta sexta-feira é celebrado o Dia Mundial do Livro e, mais do que nunca, tenho percebido que ele é meu companheiro indispensável. Um bom livro faz bem para a mente e a alma, nos enche de sabedoria, nos faz sair da realidade e viajar por lugares, histórias e momentos maravilhosos.

Ler, nos salva de nós mesmos. Um bom livro é consolo, amizade, um confidente que nos acolhe e ouve com muita compreensão. Livros são empáticos, em alguns deles vemos nossa história ali contada em outros vivemos histórias que gostariam que fossem nossas. Há livros cativantes, daqueles que iniciamos a leitura e simplesmente não conseguimos desgrudar, por maior que seja o número de páginas, simplesmente o livro “te pega”. Alguns livros lemos a nossa história contada nas páginas e palavras de alguém que não nos conhece, mas somos nós o personagem principal. Outros, lemos por obrigação, porque é muito “feio” iniciar e não terminar a leitura – sim, sofro o peso na consciência se a leitura me desagrada vou bravamente até o final, para ter a sensação de dever cumprido e, claro, sempre aprendo algo.

Se alguém pede emprestado dói no coração, confesso! Tenho um apego imenso aos poucos livros que possuo. Já fiz empréstimos a amigos que nunca foram devolvidos – por mais que eu tenha pedido, outros que respondem veementemente que devolveram e, pasme um episódio em que o livro voltou sem algumas páginas.

Livros são mágicos, afetuosos, inspiradores. São uma ótima companhia. Um ótimo investimento para fazer, um excelente presente para dar e incentivar a leitura. Vivemos a era Touch, nada contra as versões digitalizadas, mas um bom livro de papel, com cheiro de tinta, nos proporcionando a magia do desnudar das letras e o folhear das páginas – é algo insubstituível.

Fernando Pessoa dizia que “Ler é sonhar pela mão de outrem.” – verdadeira essa frase!

Para comemorar o Dia do Livro em grande estilo, listei algumas dicas de livros de personalidades e famosos para colocar na lista de livros para ler. Boa leitura!

Antônio Fagundes é um leitor voraz de todos os estilos. Não à toa, tem um podcast, o “Clube do Livro por Antonio Fagundes”, em que faz um delicioso mergulho na literatura. O ator indica o livro feminista “Backlash: o Contra-ataque na Guerra Não Declarada contra as Mulheres”, de Susan Faludi.  Sarah Oliveira, apresentadora, indica: “A Vida pela Frente”, de Émile Ajar. “Foi relançado recentemente, após 45 anos, mas trata de um assunto muito atual: a intolerância humana”, conta.

Julia Lemmertz indica algumas obras: “Revolução das Plantas” de Stefano Mancuso, “Notas Autobiográficas”, de Albert Einstein, “Duzentos Poemas”, de Emily Dickinson e “Espaço para Sonhar”, de David Lynch e Kristine Mckenna. Entre os títulos favoritos da empresária Bia Yunes Guarita, está “Dezoito Graus: A Biografia do Palácio Capanema”, de Lauro Cavalcanti.

Jarbas Homem de Mello, dançarino e ator, nos indicou o romance “Moby Dick”, de Herman Melville, e a atriz Cássia Linhares a obra “Homo Deus”, de Yuval Noah Harari, do mesmo autor “Uma Breve História da Humanidade: Sapiens” bestseller é sugestão de Costanza Pascolato.

O escritor Fabrício Carpinejar indica o livro “M, o filho do século”, do escritor italiano Antonio Scurati. “É a biografia de Mussolini, que ganhou o prêmio Strega, o mais importante da literatura italiana”. Washington Olivetto, publicitário gosta e indica para leitura o livro “Metrópole à Beira Mar”, de Ruy Castro: “É um dos grandes livros de história do Brasil”. Opção é o que não falta, hein!

Como a data surgiu | O Dia Mundial do Livro é uma data escolhida pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) para celebrar o livro, incentivar a leitura, homenagear autores e refletir sobre seus direitos legais. Essa data foi escolhida em tributo aos escritores Miguel de Cervantes, Inca Garcilaso de la Vega e William Shakespeare, que morreram em 23 de abril de 1616.

Comentar via facebook

Comentário(s)

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM