Dicas

O Pequeno Príncipe | O Livro

19 de junho de 2019

Le Petit Prince (título original) foi publicado pela primeira vez em 1943, nos Estados Unidos.  É uma obra com teor filosófico e poético, mesmo sendo considerada a princípio, uma literatura para crianças.

Confesso, é um dos meus livros preferidos junto com  Meu Pé de Laranja Lima, de autoria de José Mauro de Vasconcelos. São livros que me emocionam.

O Pequeno Príncipe, de Saint-Exupéry conta a história da amizade entre um homem frustrado por ninguém compreender os seus desenhos, com um principezinho que habita um asteroide no espaço.

Tenho certeza que você já ouviu ou se deparou com algumas frases marcantes do livro, em algum momento da sua vida: “Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde às três eu começarei a ser feliz” ou “O essencial é invisível aos olhos, e só se pode ver com o coração” e uma das mais importantes e verdadeiras expressões de amor: “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

Um Breve Resumo do Livro

O autor do livro é o personagem principal da história, tem o papel de narrador, contando sobre o dia em que o seu avião teria caído no meio do deserto do Saara, fato que considera fatídico.

Lá, adormece e, ao acordar, se depara com o Pequeno Príncipe, que pede para que ele desenhe um cordeiro numa folha de papel. Frustrado em relação aos seus desenhos, o protagonista sofre, nunca ninguém conseguia interpretar sua arte da forma correta. No desenrolar da história, o Pequeno Príncipe conta suas aventuras para o protagonista.

O jovem estaria à procura de um carneiro para comer as árvores que estariam crescendo em excesso em sua terra; de um asteroide conhecido por B 612, que teria apenas uma rosa vermelha e três vulcões, sendo um deles inativo.

Ao ouvir as aventuras do Pequeno Príncipe, o protagonista vai percebendo como as “pessoas deixam de dar valor às pequenas coisas da vida conforme vão crescendo”.

Uma Pequena Análise das Frases Famosas do Livro

A parábola do “Pequeno Príncipe” debate e chama a atenção para a perda da inocência e fantasia ao longo dos anos, conforme as pessoas vão crescendo e abandonando a infância.

O livros tem “frases/expressões” importantes que norteiam a obra e dão à ela uma profundidade ímpar:

“O essencial é invisível aos olhos, e só se pode ver com o coração.” | A obra literária aborda o valor das coisas. Através desta afirmação da Raposa, para conhecer o que é essencial é preciso ver com o coração, ou seja, tirar tempo para conhecer, olhar sem preconceito e sem discriminar.

“Foi o tempo que dedicaste à tua rosa que a fez tão importante.” | Descreve o laço afetivo existente entre o Pequeno Príncipe e a Rosa. Podemos concluir com esta frase que o que torna as coisas ou pessoas importantes é o tempo que nós investimos nelas. Quanto mais tempo, mais importante se torna nas nossas vidas.

“Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde às três eu começarei a ser feliz.” | Nessa declaração, a Raposa expressa o carinho que sente pelo Pequeno Príncipe. Fato que acontece entre pessoas que gostam uma da outra, existe esse sentimento de antecipação quando se sabe que vai haver um encontro. Aquela ansiedade boa que temos quando vamos encontrar com alguém que gostamos muito.

“As pessoas são solitárias porque constroem muros ao invés de pontes.” | Os muros servem para criar uma separação entre dois lugares, enquanto as pontes têm a função de conectar dois lugares. Assim, de uma maneira muito simples, quem é solitário se afasta das outras pessoas, construindo muros e não pontes.

“É loucura odiar todas as rosas porque uma te espetou.” | Revela o perigo e a insensatez de generalizar. Só porque alguém foi magoado por uma pessoa de uma determinada classe, raça, gênero ou grupo social, não significa que todas as pessoas são iguais.

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.” | O “cativar” algo ou alguém é muito abordado no livro. A frase explica que, quando um relacionamento é formado, seja amoroso ou amizade, as pessoas se cativam e ao cativar, são responsáveis por ela. Isso significa que o amor e amizade requerem responsabilidade. Lição para a vida!

Os Vários Personagens do Livro

O Pequeno Príncipe | A criança vem do asteroide 325 (conhecido na Terra como B-612), deixa sua casa e sua querida rosa para viajar pelo Universo. Visita vários planetas, tem contato com adultos e fica espantado com seu comportamento e incoerências.

Representa a infância inconsciente dentro de cada adulto, simbolizando sentimentos de amor, esperança e inocência.

O Piloto | Tem a função de narrador, junto com Pequeno Príncipe. Quando criança, o piloto tinha o sonho de ser um artista, mas foi desencorajado. Simboliza a atitude de perseguir e lutar pelos sonhos. A sua busca pelo poço no deserto revela a importância de aprender as lições através da exploração pessoal.A Rosa | É o objeto do amor do Pequeno Príncipe, mas graças ao seu comportamento contraditório faz com que ele parta em viagem. Ela simboliza o amor que deve ser cultivado e muito bem cuidado. Apresenta características humanas, as boas e más.A Raposa | Aparece na história de forma repentina e misteriosa e estabelece amizade com o Pequeno Príncipe. Atua como sua tutora, representa a sabedoria. Ensina valiosas lições ao menino, sendo as mais importantes: “só o coração consegue ver corretamente; o tempo que o Pequeno Príncipe passou longe do seu planeta fez com que valorizasse mais a Rosa; o amor implica uma responsabilidade”.O Carneiro e a Caixa | O Pequeno Príncipe não ficou satisfeito com o desenho do carneiro, executado pelo Piloto. Esse, por sua vez, desenhou uma caixa, afirmando que dentro dela vivia o carneiro, pedido do rapazinho. A caixa simboliza o poder da imaginação, capaz de ajudar a contornar problemas que aparecem no dia a dia. O menino tem preocupação que o carneiro coma sua Rosa. Representa a dualidade da entrega do amor: dá prazer, mas também pode ser uma porta para o sofrimento.O Elefante dentro da Jiboia | Muitos confundiam com um chapéu, assim o Piloto fez uma segunda versão, um raio X revelando o conteúdo do desenho. A ilustração demonstra que nem sempre aquilo que vemos é a realidade. Na vida muitas coisas não são o que parecem à primeira vista.A Serpente | É possível fazer um paralelismo com a serpente do livro e a serpente da Bíblia, que convenceu Adão e Eva. Representa o fenômeno da morte e, apesar de falar por enigmas, não requer tanta interpretação como outros personagens porque fala com franqueza, sem rodeios. É responsável por enviar o Pequeno Príncipe à sua casa através da sua mordida venenosa.O Rei | Tem um poder vazio. É mandão, mas tem um bom coração e ensina a lição que “é preciso exigir de cada um o que cada um pode dar”.

O Bêbado | Representa a ignorância e as pessoas que tentam fugir da realidade ou resolver um problema através de um vício. Elemento envolvido em tristeza, afirma que bebe para esquecer a vergonha de beber.

O Homem de Negócios | De tão absorvido por seus cálculos, quase não nota a presença do Pequeno Príncipe. Se apropria das estrelas, afirmando ser mais rico. É criticado abertamente pelo menino, que afirma não valer a pena ser dono de algo se você não a cuida.

O Acendedor de Lampiões | Simboliza as pessoas que cumprem tarefas sem pensamento crítico, muitas vezes fazendo coisas sem sentido ou sem entender por que. Inicialmente é visto como uma pessoa com comportamento ridículo e sem propósito. No entanto, ao verificar a devoção e empenho no seu trabalho, é admirado.O Geógrafo | Um homem com muito conhecimento geográfico e com vários livros escritos, porém não conhece nada sobre o seu próprio planeta. É ele que recomenda ao Pequeno Príncipe uma visita ao planeta Terra. Quando o Geógrafo revela que não estuda as flores porque elas não duram para sempre, o Pequeno Príncipe fica preocupado e se arrepende de tê-la deixado.

O Astrônomo | Primeiro humano a descobrir o asteroide B-612, a casa do Pequeno Príncipe. Quando fez a descoberta, ninguém acreditou porque ele vestia roupas típicas turcas. No entanto, foi ouvido quando, anos mais tarde, fez a apresentação com roupas ocidentais. Representa o problema da xenofobia e racismo na sociedade, onde pessoas são julgadas de acordo com a sua roupa, raça ou local de nascimento.O Vaidoso | Tem grande necessidade de ser reconhecido e elogiado pelos outros. Pergunta ao Pequeno Príncipe se o admira e pede para que diga que é o mais inteligente, o mais bonito e o mais rico do planeta, o que é estranho para o protagonista, já que o Vaidoso é a única pessoa existente por ali. Este personagem ensina que nós não podemos depender dos elogios dos outros para encontrarmos o nosso valor.O Pequeno Príncipe é o terceiro livro mais traduzido do mundo, contabilizando aproximadamente mais de 160 idiomas, e um dos mais vendidos por todo o planeta. O clássico ganhou diversas adaptações, seja no cinema ou em espetáculos teatrais e musicais. É o livro famoso das misses. Em 1974, dirigido por Stanley Donen, com 1 hora 28 minutos de duração. É uma comédia musical protagonizada por atores: Steven Warner, o pequeno príncipe; Richard Kiley é o piloto e Bob Fosse é a cobra. Em 2015, um longa metragem dirigido por Mark Osborne, com 1 hora e 47 minutos de duração.

A leitura e releitura desse clássico vale a pena, para todas as idades e nas várias fases da vida.

Comentar via facebook

Comentário(s)

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM