Estilo

A cor Rosa não é moda passageira

18 de dezembro de 2019

A cor rosa ganha força e espaço nas vitrines das lojas, basta observar. O rosa não é moda passageira, o resgate da cor faz parte do que o mercado chama de “mega tendências”, que surgem como reflexo do comportamento nas ruas.O movimento político, social e econômico que está acontecendo reflete na forma da gente se vestir. É fato! A marcha das mulheres, um movimento feminista resgatou o rosa em 2017, nos Estados Unidos. Elas foram às ruas vestindo toucas rosas, como símbolo do empoderamento feminino.

Das passarelas que lançam moda para as vitrines e araras de lojas de todo o país. O rosa, cor que sempre foi símbolo de fragilidade, foi resgatada pelas mulheres e ganhou novo significado. O rosa, inconscientemente, tomou um lugar maior na moda por causa do empoderamento feminino e de valorização da mulher.

Os especialistas em moda afirmam que “quando você consegue se comunicar com aquele comportamento, nesse caso o empoderamento, isso se chama: espírito do tempo, o reflexo é a febre e a tendência que determinada cor, peça, modelagem proporcionam.

Se você gosta de rosa mas, não quer sair por aí vestida dos pés a cabeça, estão sendo usadas várias técnicas para conquistar o público feminino.  O tom está nas vitrines em um detalhe de fundo do tecido, em contraste com outras cores, com tom mais sóbrio e o Pink, que é o mais ousado.

Estão nos oferecendo muitos tons de rosa, assim quanto maior a variedade, menos a cor se torna cansativa. Eu concordo, tenho observado peças lindas nas vitrines da nossa cidade.

Imagens Não Autorais | Reprodução

Comentar via facebook

Comentário(s)

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM