Dia Mundial do Pão

Hoje, 16 de outubro é celebrado o Dia Mundial do Pão. Ele está presente na minha mesa todos os dias. O “pão nosso de cada dia” tem sentido afetivo, carrega a simbologia da partilha e da saúde.

Eu amo pão! Acredito que ele vai bem com tudo. Do café da manhã ao happy hour, ele pode ser um cheiroso pão caseiro recém-saído do forno, um “francezinho”, pão doce, baguete, rosca, brioche, ciabatta e croissant – aquele que você gostar. Inclusive tem receita no Blog.

Tenho um casal de amigos em que o pão, salame e queijo estão disponíveis na mesa durante todo dia, muito bem acomodados num recipiente. Todos da família sabem que o “cantinho do pão” está lá, a disposição para ser degustado a qualquer momento. Quando me contaram esse fato, logo associei que a cultura do pão, é carinho e cuidado. Saciar a alma! Por que as vezes só queremos um afago e o pão nos proporciona isso!

A indústria da panificação está presente no dia a dia, gera oportunidades e negócios. Nas padarias a produção do pão francês corresponde, em média, a 50% do total entre os itens de fabricação própria. Incluindo a produção de outros tipos de pães como pão caseiro, de milho, integral a média sobre para 80% do total produzido na indústria da panificação.

Andando pela cidade sempre sentimos um aroma de pão assado, temos muitas padarias nos bairros, próximas dos consumidores e nos abastecem do café da manhã até o jantar. Afinal, quem não come pão com café na janta? Aquele sanduíche rápido de presunto e queijo, num francesinho fresco – hummm é delicioso!

O pão está intimamente ligado às refeições em família e entre amigos, à saciedade e à energia. O pão é um alimento que simboliza união e afeto. Pode ser acompanhamento para churrasco, risoto e até macarrão, na minha casa é!

Curiosidades sobre o pão:

– Alimento milenar do corpo e da alma, faz parte da cultura de muitas regiões e pode ter sido um dos primeiros alimentos produzidos pelo homem.

– Historicamente, se estima que o pão surgiu há cerca de 12 mil anos, com o cultivo do trigo na região da Mesopotânea. Os primeiros pães eram feitos de farinha e misturada ao fruto de uma árvore chamada carvalho. Era um alimento achatado, duro e seco.

– O consumo de pão no Brasil se popularizou depois do século 19, com a vinda dos italianos. No início do século 20, a atividade de panificação se expandiu e o produto passou a ser essencial na mesa do brasileiro.

– O pão resulta no cozimento de uma bela massa que leva farinha, água e sal. Ao longo do tempo foi enriquecido com grãos, temperos, embutidos, carnes, queijos, legumes, verduras, cremes, chocolates e frutas.

– Tem como data comemorativa o dia 16 de outubro, instituído em 2000, na cidade de Nova York, pela união dos padeiros e confeiteiros.

Apelidos do pão francês em diferentes lugares no Brasil:

São Paulo: Pãozinho | Maranhão: Pão massa grossa | Rio Grande do Sul: Cacetinho | Pará: Pão careca | Baixada Santista: Média | Sergipe: Filão, pão Jacó | Ceará: Pão de sal ou pão carioquinha | Paraíba: Pão aguado.

“Pão Nosso”

Todas as manhãs quentinho,

para nossa mesa ele vem!

Não importa com o que comemos,

muito sabor ele tem.

Não existe nenhum brasileiro que não conheça o pão,

no café da manhã ou no lanche,

dele não abrimos mão!

Pão, pão, pão que sempre nos alimenta!

De todas as formas e tamanhos,

é ele que nos sustenta!

Este alimento é tão precioso,

que até na Bíblia é citado!

Na última ceia o próprio senhor Jesus,

repartiu entre seus convidados.

Poema de Gabriel Saturno Bezerra, aluno do 6º ano do Colégio Estadual Elvira Balani dos Santos, de Maringá. Classificado em segundo lugar, no 1º concurso literário “A Arte de contar e poetizar o pão”. O concurso é uma parceria da Secretaria de Estado da Educação e o Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria do Estado do Paraná.

Imagens Reprodução | Não Autorais.

(Visitada 91 vezes, 1 visitas hoje)