Dicas

Dietas da Moda e Alimentação Equilibrada

25 de março de 2017

A Carolina Vieira é acadêmica do último período de Nutrição da Faculdade de Pato Branco – FADEP e veio contribuir com o Blog sobre um assunto muito interessante: As Dietas Moda X Alimentação Equilibrada, ela vai falar um pouco sobre os mitos e verdades, benefícios e malefícios do assunto. Vamos acompanhar ?

“Dietas divulgadas em revistas não científicas recomendam o uso de planos alimentares com restrição energética extrema, o que vai contra as leis da nutrição: qualidade, equilíbrio, adequação e harmonia.

Como exemplos as famosas “dieta da Sopa”, que enfatizam o consumo de um único grupo de alimentos e a “dieta da Lua”, a qual  parte do princípio que a Lua é capaz de influenciar os líquidos do nosso corpo e que a cada mudança de sua fase, a pessoa deve se limitar ao consumo de apenas sucos, sopas e líquidos durante 24 horas.

A nutrição é um dos fatores que mais afeta a saúde do indivíduo, sendo que a ingestão e a quantidade correta dos alimentos seguindo bons hábitos alimentares durante toda vida proporciona um corpo e mente saudável.

As dietas da moda levam a perda de peso em curto prazo, porém seus malefícios são muito maiores que seus benefícios:

  • Falta de nutrientes;
  • Emagrecimento precoce sem saúde e qualidade de vida;
  • Restringir demais os tipos de alimentos faz com que o peso aumente novamente quando a dieta acabar;
  • Modificação no metabolismo;
  • Queda de cabelo;
  • Enfraquecimento muscular;
  • Irritabilidade.

É claro que não são todas as dietas que podem causar os problemas citados acima. Mas se a dieta ocorrer sem o acompanhamento de um nutricionista  e for muito restritiva, sem diversidade de alimentos na composição, muito provavelmente os riscos serão grandes.

Dietas temporárias são perigosas, por isso, o importante é manter hábitos saudáveis e reeducar os modos de se alimentar.

Uma alimentação saudável deve ser:

  • Variada: que inclui vários grupos alimentares, a fim de fornecer diferentes nutrientes, por exemplo: cereais, frutas, hortaliças, carnes, laticínios e feijões.
  • Equilibrada: respeitando o consumo adequado de cada tipo de alimento,  por exemplo:  temos que consumir mais frutas do que gorduras.
  • Suficiente: em quantidades que atendam e respeitem as necessidades de cada pessoa.
  • Acessível: baseada em alimentos in natura, produzidos e comercializados regionalmente (acessibilidade física), que são mais baratos que alimentos industrializados (acessibilidade financeira).
  • Colorida: quanto mais colorida é a alimentação, mais adequada é em termos de nutrientes.

Deixo uma mensagem a qual gostaria que todas pensassem: ‘‘Não estou fazendo dieta, estou mudando meu estilo de VIDA!’’ ”

Abraço, Carol Vieira.

*O texto é responsabilidade da autora.

Comentar via facebook

Comentário(s)

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM