Francisco Beltrão

Neblina | A Beleza da Incerteza

4 de julho de 2018

Fotografia: Leila Lindiana

Se tem coisa que sou eu, Flaviana e admiro nessa vida é o “tal olhar diferente”. Sim, sair da mesmice, do lugar aonde todos vão, das coisas óbvias, e abrir a mente e o coração para novas formas de enxergar a vida, as situações, sentimentos e as pessoas.  Novas percepções são sempre bem-vindas!

Nesse inverno, estou tendo uma bela lição sobre o assunto, a citação de Oscar Wilde, “A certeza é fatal. O que me encanta é a incerteza. A neblina torna as coisas maravilhosas.” Concorda ? Esta pensativa (o) ?

Ah, como precisamos nos encantar com a incerteza! Ainda mais em tempos de mudança, nos instigamos novos olhares, novas percepções, novas visões de mundo e da gente mesmo!

A neblina, essa sedutora dama de branco aguçou minha percepção. Nesses muitos dias em que nossa cidade esta tomada sobre a famosa cerração, eu a vejo como uma linda, misteriosa e dona de encantos e mistérios, que nos envolve e abraça com carinho, sem nos deixar saber o que ela esconde mas, no final a certeza, o Sol sempre nos brinda com sua energia e alegria.

Fascinada pelas fotografias da Leila, compartilho com vocês, meus amigos essa concepção. Pra aquecer alma, o corpo e o coração em dias gélidos onde a névoa encobre nossos destinos.

Neblina (Guilherme Salviano)
“A neblina é uma espera
De  tempo que vem ou que era
Atravesso seus contornos, até que encontro o Sol
Chego a ele conduzido por canto de rouxinol

Neblina bem encantada nos invernos das hortênsias
Mesmo em amor imaginário, sem vírgula ou reticências
Tem contornos que eu abraço desenhado sobre mim
Fico nele, com ela, aquecido sem querer da vida um fim

Escrevo para as Neblinas como em vapor de espelho
Igual marcas de beijo de Fada por algum batom vermelho.
Ou desenho de menina que adora uma Aquarela
Que me puxa pelas mãos, sorridente e tagarela.

Tudo isso vivo nela, depois que adentro Neblina
Que apaixona de tão leve e se torna minha sina
Até sei  onde encontro menina travessa enfeitada de ar
E até sonho tanto e pra sempre, com ela, poder brincar.” 

Curiosidade |Neblina e nevoeiro são a mesma coisa, mas o primeiro termo é popular e o segundo é utilizado por meteorologistas. Já a névoa pode ser seca ou úmida. A primeira é uma mistura de ar com poluição – sua umidade é sempre menor do que a dos outros fenômenos. Já a segunda, assim como o nevoeiro, acontece quando o ar quente e úmido entra em contato com uma superfície fria e se condensa até formar vapor. Ela tem umidade igual ou acima de 80%, forma-se geralmente em altitudes mais elevadas e tem uma visibilidade de 1 a 5 km. O nevoeiro apresenta umidade sempre acima de 90%, acontece no nível do chão e só permite enxergar a até 1 km. https://mundoestranho.abril.com.br

Francisco Beltrão | 01 de julho 2018 

Fotografia | Leila Lindiana Schroeder | 46 9 9974 1626 | Facebook aqui | Instagram: @leilalindiana

Comentar via facebook

Comentário(s)

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM