Francisco Beltrão

Rua Maranhão | Um quarteirão encantador em Francisco Beltrão

11 de junho de 2021

Fotografia | Leila Lindiana

O trecho da Rua Maranhão, entre as Ruas Curitiba e Palmas é um lugar muito lindo da nossa cidade. Durante o ano as árvores embelezam de uma maneira poética aquele local, uma vez que formam um belo “tunel” verde. A rua tem fartura de sombra, temperatura agradável e um belo visual.O corredor de árvores “verdinhas” tem um efeito estético muito bacana. Trafegando pela Rua Curitiba, efetuando conversão à direita para rua Maranhão a sensação é de estar entrando em outro lugar. Faço esse trajeto diariamente e não canso de observar a beleza nos breves minutos que passo por lá. As Tipuanas nos abraçam, acolhem e nos dão aconchego – é poesia!As árvores que predominam na Rua Maranhão estão plantadas na calçada e são Tipuana tipu, da família das Fabáceas, conhecida como tipuana ou amendoim-acácia. Tipo comum de ser encontrado na malha urbana de várias cidades, tem crescimento rápido e vigoroso. Na idade adulta pode chegar a 15 metros, sombreiam generosa e continuamente as ruas, a ponto de virar uma espécie de identidade cultural. A concentração das árvores na Rua Maranhão se dá entre a escola Sonata e a Furbe – Fundação Rotária de Francisco Beltrão. O espetáculo das Tipuanas tem início com a florada, que acontece no final do inverno – início da primavera. A floração é linda e quando as pétalas caem, formam um tapete dourado. São árvores belas, tem copa arrendodada, ampla e densa, fato que contribui para o paisagismo da rua.As flores surgem em cachos, graciosas, amareladas, colorindo a primavera. Seus frutos são duros, achatados em forma de asas, escuros quando maduros. Já as sementes são esbranquiçadas e não se separam do fruto.  Para produzir mudas de tipuana utilizem as sementes.

Uma curiosidade, no outono, as Tipuanas perdem uma parte das folhas para economizar energia no frio. Mas há necessidade de podar, porque as folhas crescerão novamente e elas viram adubo, alimentando nosso solo.

A Rua Maranhão, nesse trecho que comentei, é um oásis, um recanto de paz. A sensação ao andar por lá em qualquer época do ano é especial, no período das flores é mágico! Você simplesmente se encanta por cada centímetro amarelo que forma um tapete aos nossos pés. É a grandiosidade de Deus, colorindo nossos passos, tenha certeza! Curiosidade sobre a Tipuana | Sabia que a defesa contra o corte de uma tipuana foi um marco do inicio do movimento ambientalista no Brasil? Em 1975, em Porto Alegre, funcionários da prefeitura estavam cortando várias árvores para a construção de um viaduto. Um jovem universitário, Carlos Alberto Dayrell, inconformado com o ocorrido, subiu em cima da próxima árvore que ia ser cortada, uma tipuana. A partir daí começaram a se agrupar pessoas no local, e entre os curiosos havia muita gente que apoiava a iniciativa do rapaz. Tudo começou de manhã e por volta das 14 h já havia mais de 500 pessoas no local.  Entre as pessoas estava José Lutzenberger (1926-2002), grande ambientalista brasileiro. Dayrell, Lutzenberger e outros manifestantes negociaram com a prefeitura e garantiram que a tipuana não fosse cortada. Ela está de pé até hoje, sã e salva.

Fonte | https://sites.unipampa.edu.br/programaarborizacao/ e Vilmar Rigo, Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Francisco Beltrão/Pr.

Fotografias | Leila Lindiana | Instagram @leilalindiana

Comentar via facebook

Comentário(s)

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM