Francisco Beltrão Lugares

A Torre da Concatedral Nossa Senhora da Glória

9 de outubro de 2017

Fotografias: Leila Lindiana

“Mais um vez fui convidado a escrever aqui no Blog da Flaviana. E toda vez que isso acontece me passa um monte de coisas na cabeça para escrever, mas hoje é diferente, algo inexplicável .

Flavi me enviou fotos que a Leila tirou (que já sou mega fã), essas fotos de nossa torre que mostram duas perspectivas, analogicamente falando, me remente a percepção de quem cuida e de quem é cuidado ou de quem observa e que é observado, seguindo essa linha de raciocínio, sempre em nosso cotidiano somos mais observados do que observadores (ao julgamos isso). São tantos detalhes que emprega essas fotos, relatamos corriqueiramente quantas vezes que nos sentimos observados o que pode-se interligar que de modo simples observamos muito mais, que nos preocupamos com o que acontece ao lado.

Mas voltando ao meu eixo de olhar, pensar e transcrever o que sinto ao apreciar essas fotos, percebo que hoje nossa sociedade é a Torre. Intrinsecamente esta rodeada de influências, as vezes perdidas, sem nexo para o contexto, mas está ali fazendo seu papel diário na labuta, agradando ou não, ao cantares de hora em hora a lembrar de sua existência (que por muitas passa despercebido).”

“De manhã, eu tinha o olhar tão perdido e a postura tão morta, que aqueles que encontrei talvez não me vissem.” – Arthur Rimbaud

Torre da Concatedral Nossa Senhora da Glória, é classificada como um edifício e monumento. Está situada ao lado da Concatedral Nossa Senhora da Glória. Sua construção teve inicio em 1999, com projeto do Arquiteto Dalcy Salvati, a inauguração foi em 25 de novembro de 2010. Ela tem 100 m de altura, elevador panorâmico e dois mirantes, possui quatro relógios com iluminação em LED e um sino eletrônico em seu topo, o qual possui um toque inspirado no sino do Palácio de Westminster, na Inglaterra. Para os que a visitam, proporciona uma bela vista do município.

Visitação da Torre | Entrada Gratuita | Terças as Sextas-feiras das 14h as 19h – Sábados: 8h00 as 12h00 e 16h00 as 21h00 e Domingos: 14h as 19h00.

Fotografias| Leila Lindiana

Texto| Adinan Fidelis | Historiador

Comentar via facebook

Comentário(s)

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM