Porta Retrato

Dia da Mulher por Martha Medeiros

8 de março de 2018
Logo me identifiquei com esse texto da Martha Medeiros, minha comadre Mônica me enviou, amei!!! Sou fã da escritora, essa gaúcha porta voz dos temas cotidianos. Suas crônicas são sempre saborosas, suas poesias inspiradoras, seu estilo de escrita sempre prende minha atenção. Hoje, mais um texto gostoso demais, leve demais, verdadeiro demais – eu te convido à ler. Vamos lá ?
“Sempre que chega próximo ao Dia Internacional da Mulher, procuro fugir  do discurso de vitimização  que a data invoca.
Não que estejamos com a vida ganha, mas creio que as mulheres já  mostraram a que vieram e as dificuldades pelas quais passamos não são privilégios nosso: injustiça e violência são para todos.
Prefiro aproveitar a data, esse ano, para fazer um brinde à  nossa importância não para sociedade e nem para a família, mas umas para as outras.
Assistindo ao delicado filme Caramelo, tive a sensação boa de confirmar que o tempo passa, os filhos crescem, os corações  se partem, mas as amigas ficam.
Como todos os filmes que abordam amizade e a solidão intro seca de toda mulher, Caramelo nos consola valorizando o que temos de melhor: a nossa paixão, a nossa bravura e o bom humor permanente, mesmo diante de tristezas profundas.
Precisamos de mulheres à nossa volta. Amigas, filhas, avós, netas, irmãs, cunhadas, tias, primas.
Somos mais chatas do que os homens, porém, entre uma chatice e outra, somos extremamente solidárias  e  companheiras de farras e roubadas. Competitivas?!!! Talvez, mas isso não corrompe em nada a nossa predisposição para o afeto, o nosso abraço  na hora da dor.
Aprendemos a compartilhar nossas virtudes e pecados e temos uma capacidade infinita para o perdão.
Somos meigas e enérgicas ao mesmo tempo, o que perturba e fascina os que nos rodeiam.
Brigamos muito, é  verdade: temos unhas compridas não por acaso.
Em compensação, nascemos com o dom de detecção do sagrado nas pequenas coisas, e é por isso que uma amizade iniciada na escola pode completar bodas de ouro e uma empatia inesperada pode estimular confidências  nunca feitas.

Amamos os homens, mas casadas, mesmo, somos umas com as outras.”

Feliz Dia 08 de Março para todas nós! Amigas de longa data, de infância, adolescência, amigas que encontrei já adulta, amiga/irmã, amiga/prima, amiga/tia, amigas/amigas, amigas do coração.
AMIGAS, que o encontro repentino me permitiu confirmar a regra que amigas são para sempre.
Sobre Martha Medeiros | A escritora gaúcha despontou como cronista, com um olhar atento sobre temas como cultura e comportamento. Com 23 livros publicados, entre ficção, poesia e coletâneas de crônicas, já soma mais de 1 milhão de exemplares vendidos e tem obras adaptadas para cinema e teatro. Entre seus títulos, estão Divã, Doidas e Santas, Feliz por Nada, Liberdade Crônica e Simples Assim. Além das colunas no Donna e no primeiro caderno de Zero Hora, Martha escreve para o jornal O Globo.

Comentar via facebook

Comentário(s)

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM