Francisco Beltrão

A Natureza e seus Detalhes

9 de novembro de 2018

Pé de Manjericão | Fotografia Leila Lindiana

Pra mim, a beleza mora nos detalhes na sutileza. A natureza é de uma quantidade infinita de formas que me encantam. Quando nos permitimos ter uma experiência direta com ela, aprendemos muitas coisas.

Primeiro, é preciso se abrir para a experiência, deixar de lado por um momento o olhar objetivo e analítico e desenvolver o olhar atento, amoroso e interessado em interagir com ela. Nem todo mundo sabe, mas a natureza sabe brincar e pode responder aos nossos estímulos. As crianças sabem bem e é por isso que, quando brincam com a terra, folhas, pedras, conchas, galhos, etc, sua imaginação vai ao máximo, levando-as a criar mundos riquíssimos, cheios de história e poesia.

A natureza aguça naturalmente os sentidos, é uma experiência de estímulos. Os cheiros em um jardim ou num conjunto de árvores são diversificados e nos proporcionam viagens maravilhosas pelo sentindo do olfato. Os sons dos pássaros, da água corrente, da brisa tocando as folhas e tantos outros podem levar à experiência de se perceber parte de um campo muito maior do que o definido pela visão. Mas o olhar pode também se ampliar infinitamente.

A experiência de observar uma planta, é fascinante. Preste atenção aos detalhes, a Leila faz isso muito bem, quanto mais atenção dispender mais aspectos começam a ser percebidos. Mais e mais nervuras, reentrâncias, curvas, concavidades, penugens vão se revelando ao seu olhar. Se você continuar observando bem lentamente você observa ela se transformando, crescendo, e você também se transforma, desenvolve sua capacidade de perceber.

Os estímulos do tato também são muitos, a natureza é sempre perfeita. Treinamos a percepção para os estímulos cada vez mais sutis. As sensações de calor ou de frescor, o toque da brisa, a textura e a temperatura do tronco das árvores, das plantas são toques intensos mas fugazes, mudando a todo instante.

Em qualquer “lugar de natureza”, pode ser uma floresta, um pequeno fragmento de mata, um conjunto de plantas em um parque, um jardim, um pequeno canteiro no final do terreno ou um vasinho dentro de casa, as plantas estão em permanente transformação. E você também. Observar o processo é uma experiência que revigora o corpo e o espírito, permitindo que pensamentos e sentimentos vivos emerjam a partir dela.

A natureza esta aí todos os dias a nos ensinar algo. Contemple mais, observe e viva o que ela tem a nos oferecer.

Fotografia | Leila Lindiana Schroeder | Instagram @leilalindiana

Comentar via facebook

Comentário(s)

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM